segunda-feira, 27 de junho de 2011

22 - A FESTA DO BATIZADO


Cartaz confeccionado por Renata
Foto: Leandro Dias



No final da festa do Renascer, antes mesmo das últimas fagulhas da fogueira, o grupo já conversava sobre os preparativos do Batizado. Caio disse que iria fazer as bandeirinhas, falou com Isabel que começou a cortá-las. Daí pra frente, todas as quintas-feiras antes do ensaio fizeram bandeirinhas para enfeitar a praça, esse rito foi incorporado ao “aquecimento” do grupo.



Caio colocando as bandeirinhas para Festa do Batizado de 2011
Foto: Leandro Dias



No meio do corre corre dos ensaios e preparativos pra festa, o Grupo Cupuaçu recebe uma visita, Silvestre, irmão de Tião, Isabel e Ana Maria.



Silvestre contou algumas histórias enquanto arrumavamos o altar. Sempre muito zelozo com cada pedaço de tecido que cortava, com cada enfeite, disse que essa é uma herança que recebeu de seus pais. Segundo ele, seu pai era muito festeiro não perdia um boi, disse que ele e os irmãos são muito unidos por causa da educação que receberam dos pais.




Silvestre e Lili
Foto: Rosana Araújo



Passamos o dia inteiro rindo, as pessoas do morro do querosene passavam comprimentando o Silvestre pensando que era o Tião. Os carros passavam e Businavam:



"Oh Tião!"



E ele fazia de conta que era o Tião, e nós ríamos!!!



Essa festa foi muito especial, o Grupo Cupuaçu comemora seus 25 anos e o Boi batizado ganhou o nome de Jubileu de Prata.



Durante o crepúsculo, as mulheres se dividem, Graça e Isabel assumem a arrumação do altar, a cada toque delas, tudo se transforma e fica mais bonito.




Altar da Festa do Batizado 2011
Foto: Rosana Araújo



“A frente deste altar é onde o Boi será batizado e onde acontece toda celebração. (...) Canto seguro, depositário de esperanças, vela e promessas. Aconchego, de onde toda beleza emana. Contém em si a representação da duplicidade do olhar: é o local privilegiado de onde os santos assistem a toda a brincadeira; e é para lá que todos os olhares e esperanças se voltam.” (Saura; Soraia, 2008 – Planeta de Boieiros – as culturas populares e educação de sensibilidade no imaginário do Bumba-Meu-Boi, Tese de Doutorado pela Faculdade de Educação da USP, Pág. 283)



Aconteceu uma coisa linda, enquanto o batalhão Guarnecia na fogueira algumas mulheres arrumavam o Boi. Uma costurava a barra, outra enfeitava os chifres com fitas coloridas, outra bordava o nome Jubileu de Prata, vez ou outra entoavam toadas de batizado, foi bonito.




Ana Maria preparando o Boi para o Batizado
Foto: Rosana Araújo



O Boi pronto, chega coberto ao Altar, inicia então o ritual de Batismo.




video



Bete e Fábio os padrinhos do Boi.




Os Padrinhos Batizando logo após o Batizado do Boi
Foto: Rosana Araújo



"Tudo tem que ser bonito, figurino, toadas, bordado… Por que é promessa pra São João."


Tião Carvalho